Olá,
leitores curiosos.
Tudo bem?

Hoje é dia
de entrevista exclusiva aqui no blog. Ele já passou pelo Maah Music e agora
volta para um bate papo. Então, vamos conferir a entrevista com Daniel
Debiagi. 


. Daniel
Debiagi ficamos muito feliz pela sua presença aqui no blog. Você estreou no
palco com apenas 11 anos de idade, como foi o seu primeiro contato com a
música?
Quando tinha 10 anos de idade lembro-me de estar
numa excursão do grupo de danças folclóricas que eu participava e havia um
músico tocando violão e cantando dentro do ônibus, todos na sua volta cantavam
juntos, foi naquele momento que eu tive vontade de aprender a tocar um
instrumento. Cheguei em casa pedindo aos meus pais para fazer aulas de
violão.  Com 11 anos subi num palco pela
primeira vez para uma apresentação e não quis mais descer.
.
Como foi a produção do seu trabalho atual?
Desde 2008 que eu faço shows autorais em Porto Alegre. Com a
boa aceitação do público, veio a vontade de registrar num disco as minhas
composições e compartilhá-las de forma profissional. Em 2012 voltei a
praticar técnica vocal com a cantora/atriz/produtora Marisa Rotenberg,
especialista em canto brasileiro, dessa parceria nasceu a oportunidade da Marisa
produzir meu disco. Eu escolhi as seis músicas que queria gravar, apresentei a
ela e partimos para um trabalho de preparação vocal sobre as minhas canções, eu
precisava colocar o Daniel intérprete ali nas minhas palavras.  Gravamos
de março a outubro de 2013 no Transcendental Áudio com o Léo Bracht. Marisa
chamou outro experiente músico para coproduzir, o Gelson Oliveira, e músicos
excelentes daqui do sul para gravar, como Angelo Primon, Ale Ravanello,
Paulinho Supekovia, Samuca do Acordeon, Cesar Moraes, Fernando Sessé e Andréa
Cavalheiro. O ensaio fotográfico para o disco foi feito pelo Rômulo Seitenfus,
que conseguiu captar em imagens muito bem a atmosfera musical do projeto e eu
mesmo fiz o design gráfico das peças e site. Desde o início foi planejado para
ser um EP virtual com distribuição gratuita pela internet. É um trabalho
completamente independente cujo objetivo é doar-se aos mais ecléticos ouvidos.
.
Você quem faz suas próprias composições? Você tem gosto pela música e poesia.
Podemos dizer que suas composições são poesias?
Eu tenho um repertório autoral e composições com
parceiros, divido algumas letras com poetas amigos. Gostaria que as composições
fossem poesia, mas nem todas são.
.
Você compõe suas canções como poesia? No que você se inspira?
Eu tento fazer com que minhas letras nasçam poesia e
depois virem música. Minha inspiração vem muito da literatura, de frases que
leio, de livros, de contos, e claro, do que eu estou sentindo e vivendo naquele
momento. Algumas canções do EP fiz como se eu fosse outra pessoa dizendo aquilo
pra mim mesmo, coisas que eu precisava ouvir naquele momento.
 . Quais
são suas influências musicais? Contem para os leitores do Maah Music. O que
você tem ouvido atualmente do mundo da música?
Eu estou sempre pesquisando sons, compositores
novos, cantores que nunca ouvi falar, e nessa busca descubro coisas lindas que
de certa forma se agregam no meu inconsciente de compositor. Mas Vander Lee,
Vitor Ramil, Caetano, Bethânia, Adriana Calcanhotto, Mercedes Sosa e Jorge
Drexler são nomes que não saem do meu player. Nestes últimos dias tenho ouvido
muito o cd do cantor e compositor Almério, de Caruaru, e também o cd Redondas
do cantor e compositor também gaúcho, Alex Alano.
.
Você já tem fãs pelas redes sociais e a galera que acompanha seu trabalho. Como
é o contato com vocês?
Confesso que não gosto muito dessa palavra “fã”,
acho que existem pessoas que curtem minha música, pessoas que se deixam tocar
pela minha voz, que me emprestam seus ouvidos, e a elas sou imensamente grato.
Não existe artista sem público e eu gosto de saber o que as pessoas estão
sentindo ao me ouvir, estou sempre aberto ao diálogo e as redes sociais tem
facilitado muito para que isso ocorra.
.Qual
é a mensagem que você quer passar para as pessoas que ouvem suas canções?
Para mim música é sentimento, quero que as pessoas
percebam isso.
.
Entrevista quase no final. Mas antes, conte quais as próximas novidades? Você
pensa em fazer shows de lançamento em São Paulo ou em outras cidades?
O EP DRAMA-FLOR foi lançado virtualmente em novembro
de 2013, e ainda estamos no período da captação de ouvidos, da divulgação deste
trabalho disponível para free download. Mas em março, 23 e 30, acontecerão dois
shows de lançamento em Porto Alegre no Centro Cultural Meme Santo de Casa.
Quero muito levar o show à São Paulo e para todos os cantos, da esquina ao
Acre!  Também pretendo, em breve, lançar
um videoclipe da canção título, Drama-Flor.
.
Qual a mensagem que você gostaria de deixar para os fãs e os leitores do blog?
Quero agradecer muito pela atenção e dizer que não
deixem de baixar o disco no site
www.danieldebiagi.com . Para quem gostar, peço que
compartilhe com um amigo, a música foi feita para ser dividida. 

.
Antes de ir embora. Vamos terminar essa entrevista animada com música. Qual
música você quer dedicar para galera?


Gostaram?
Adorei fazer entrevista com Daniel.  Suas músicas já fazem parte da minha playlist.
Fiquem por dentro de todas as novidades, acesse:

E por hoje é só meus queridos leitores, amanhã tem muito
mais. Aumenta o som!
Beijo,
@Maahmusic

2 Comments

Reply To Marielsa Klatter Braga Cancel Reply