Eu sempre choro quando ouço Laura Petit, vocês estão preparados para ouvir? Vai mudar sua vida como mudou a minha hein!

Sempre que ouço Laura Petit sinto que ela dança com minha alma no meio da sala, ela faz uma festa internamente em mim, é como se eu estivesse em outra dimensão, e confesso que é uma das minhas melhores sensações, porque a felicidade transborda de mim e depois vem o choro de alívio.

Preciso contar para todos que ler esse texto que sou viciada musicalmente na Laura, ouço praticamente todos os dias de manhã para ter a sensação viciante de felicidade e as vezes choro, como revelei anteriormente. Acordo cedo para ver o dia nascer e pensar como quero que seja meu dia, logo em seguida vem o play da minha playlist preferido onde quem começa na cantoria é ela, Laura.

Poucos artistas têm esse dom de mexer com alma de tão forma, normalmente mexem com meu sentimento e me fazem viajar, mas a Laura é diferente de tudo que já ouvi, ela me chama para dançar e faz minha alma ficar inquieta e o sentimento é uma inquietude de felicidade.

Vem descobrir o meu  motivo para ser feliz.

Laura Petit Cine Prive por Leticiah. 

Trazendo um brega pop alternativo para sua MPB, a cantora e compositora Laura Petit lança   “Cine Privê”, uma faixa que apresenta uma sensualidade peculiar para dialogar sobre o término de uma relação tóxica. Com produção musical assinada por Lemoskine (Poléxia, Sabonetes e A Banda Mais Bonita da Cidade ) e coprodução de Eduardo Rozeira (A Banda Mais Bonita da Cidade), a letra traz um discurso de amor próprio e libertação. “Cine Privê” está disponível em todas as plataformas de música digital através do Selo Pomar.

“Sinto que venho de um momento mais melancólico, e isso vinha transbordando na poesia das minhas músicas. Acho que ‘Cine Privê’ é a mais alegre dessa safra chorosa dançante. A produção da faixa foi especialmente rica”, conta Laura Petit.

A artista vai da MPB ao baião, da psicodelia ao experimental. Trazendo uma visão agridoce, bem-humorada e por vezes debochada dos afetos modernos, ela entrega uma sinceridade desinibida, uma candura desconcertante e uma ironia cortante, embaladas por uma instrumentação tão atual quanto nostálgica.

Nascida em Brasília e criada em Curitiba, Petit traz a arte no corpo desde sempre. VAMOS PARAR DE PAPO E OUVIR NO VOLUME MAIS ALTO!


FIQUEM
LIGADOS QUE EM BREVE TEM MAIS MÚSICA AQUI, HEIN? TE ESPERO! ABRAÇO GRANDE,

@MAAHMUSIC

DEIXE SEU COMENTÁRIO