Rachel Reis cantora e compositora que eu diria ser meu lado romântico, sempre fui uma pessoa que dizia não ser romântica, mas na verdade eu sou perdidamente apaixonada pelas coisas que faço, fantasias , histórias e sempre preciso de música para que meu cenário imaginário seja completo, aquela trilha sonora que faz toda a diferença.

Eu me apaixonei recentemente e com toda cara de pau do mundo, escrevi uma carta dizendo que estava loucamente apaixonada, sim carta rs, sou romântica sim e às vezes até brega como fui chamada pelas minhas amigas. Minha história de amor não deu certo, e caraca fazia um tempo que não sabia o que era dor de amor não correspondido e hoje  Rachel Reis me fez ver e até sentir que foi necessário não ter dado certo, não era pra mim esse amor. A música que embala meu atual momento é “Maresia” que me fez esquecer da dor e ver um lado bom de tudo isso, novas possibilidades e tudo mais!

Vem ouvir e se apaixonar pela voz encantadora da cantora Rachel Reis!

Foto por Lucas Raion.

Cada música que ela lança é um disparo  no meu coração, é a certeza que tudo ficará bem diante de tanta tristeza que estamos passando e tendo que lidar. Sempre que separo um tempo no meu dia para ouvir suas músicas é a certeza que pelo menos um sorriso vai surgir no meu rosto e a calmaria no meu coração, é sempre esse sentimento único e maravilhoso que tenho escutando Rachel Reis.

A cantora e compositora feirense Rachel Reis, lançou hoje  nas principais plataformas digitais o seu novo single “Maresia”, uma faixa bônus EP ‘Encosta’ que foi lançado em abril, em parceria com Zamba e Cuper. Assim como as outras músicas já lançadas no projeto, o intuito é homenagear a Bahia através dos ritmos, dessa vez trazendo o arrocha em destaque e um convidado especial: Fredinho O Louco.

A canção foi gravada durante a pandemia, no momento em que Zamba pensou em combinar texturas e contextos, juntamente com Cuper que é um guitarrista influenciado pela música caribenha e da américa do sul, e Rachel que carrega consigo influências bem regionais com um tom adocicado.

“Maresia foi uma música que eu quis fazer num tom de brincadeira, mais leve do que as outras, foi bem tranquila a composição, fiz em dez minutos. Ela está num ritmo muito gostoso e é bem dançante, pra todo mundo convocar seu dengo e ficar coladinho (risos)”.

“Em Maresia já sentíamos uma vibe meio arrocha em potencial e a ideia de ter alguém cantando nessa pegada também já havia sido comentada. Estava passando uma temporada do isolamento em Boibepa e um belo dia quando tava acordando de manhã eu ouvi da janela uma voz bem tá cantando arrocha, esse arrochas clássicos (Silvano Sales, Pablo, etc). Quando olhei da janela me dei conta de que era uma pessoa cantando de bicicleta, era ele, Fredinho O Louco, convidei ele e ele cantou num take só o verso da música, cantou perfeito, a voz dele é tão potente que eu fiquei com medo dele acabar com meu microfone.”, conta Cuper rindo da situação.

A responsável pela capa do EP foi a Maíra Moura Miranda, que continuou a mesma inspiração usada para o EP, que é trabalhar de forma livre a desconstrução do corpo usando distorção e estilização, onde ela mostra de uma forma lúdica e artística a história da música.

VAMOS PARAR DE PAPO E CURTIR A NOVIDADE MUSICAL!


 

FIQUEM
LIGADOS QUE EM BREVE TEM MAIS MÚSICA AQUI, HEIN? TE ESPERO! ABRAÇO GRANDE,

@MAAHMUSIC

DEIXE SEU COMENTÁRIO