Hoje estou com dicas valiosas e Ivo Vargas é uma delas. Ele me faz sentir o melhor sentimento da vida, foi quando eu comecei a conhecer a música brasileira, a minha madrinha me ligava às vezes, e sempre que eu atendia o telefone ela cantava a música “Marina” de Dorival Caymmi e foi assim que me apaixonei pela musicalidade brasileira, antes eu escutava outros tipos de músicas, enfim.  Eu amava ouvir “Marina” , até ouço escuto na voz de vários artistas.

Ivo com sua música me trouxe esse sentimento bom da descoberta da sua música! O cantor revela “Zo”, primeiro single de “Atalaia”, seu álbum de estreia solo a ser lançado em 2021 pelo selo Cantores del Mundo. Em um trabalho de retorno para as suas raízes, o artista mescla tons de folk, indie rock, jazz e música brasileira em um caldeirão sonoro e linguístico – a faixa é cantada em português, inglês e holandês. “Zo” está disponível para streaming e ganhará um clipe em breve. Saiba mais sobre!

FOTO POR :Suzanna Tierie .

“Zo” é um folk caiçara composto ao lado da fotógrafa e letrista Suzanna Tierie, que assina ainda outras duas canções e a identidade visual ao lado de Ivo em “Atalaia”, combinando direção artística, fotos e arte de capa e se tornou peça fundamental para este trabalho. O álbum nasce também dessa união, onde os dois, além de parceiros de vida, se tornaram co-autores.

“Zo” é uma reconexão de Ivo Vargas com as raízes e cultura de sua terra – a Região dos Lagos no interior do Rio de Janeiro. Experiente músico, cantor e compositor, o artista se volta para dentro em um álbum onde se re-apresenta enquanto autor e criador. “Atalaia” irá reunir uma gama de composições que mostram um outro lado de Ivo, abarcando influências que vão muito além da MPB à qual sempre se associou. Para isso, ele se une aos músicos Diogo Sili (guitarra, violão e banjo), Guilherme Marques (sintetizador) e Gabriel Barbosa (bateria).

“Zo” e as composições de “Atalaia” vieram de um período de imersão após o retorno de Ivo Vargas ao Brasil. O artista circulou com o guitarrista e compositor argentino Nicolás de Francesco por toda a Europa e América Latina com o projeto Rio Rosa ao longo de dois anos. De volta em casa, Ivo foi a fundo em suas origens e mesclou a bagagem dessas viagens culturalmente ricas em uma identidade musical: o indie caiçara.

“Quando voltei ao Brasil, senti a necessidade de me embrenhar no meu lugar, na minha terra. Me aprofundei nas composições de ‘Atalaia’ e na busca da minha identidade como compositor, como artista. Sempre vivi de música, mas minha história com composição é muito recente e eu ainda precisava dessa afirmação. ‘Atalaia’ sintetiza e anuncia tudo isso, esse começo. Venho do litoral do interior do estado do Rio de Janeiro, onde o mar dita o tempo, dá o sustento. No mar escrevi pro mar, pro amor, pra vida. Isso fala muito da ‘Atalaia’. Sempre no mar, no meu refúgio, onde eu sempre vou quando quero compor ou conversar com os deuses”, explica Ivo.

O nome do álbum vem do árabe e significa “lugar elevado onde se vigia, observa, uma sentinela”. Esse é, também, o sentido do disco: uma observação da vida, da natureza e das relações. Além disso, faz uma referência ao Pontal do Atalaia, em Arraial do Cabo, nas terras caiçaras de onde Ivo Vargas é natural.

2021 promete ser um ano de novidades para Ivo Vargas. Dois Varguinhas, projeto formado ao lado da irmã para cantarem composições próprias e de amigos, ganhará um disco.

Enquanto isso é possível ouvir “Zo” nas principais plataformas de música.

SIGA IVO VARGAS:

https://www.facebook.com/IvoVargas

https://www.instagram.com/ivovargas__

FIQUEM
LIGADOS QUE EM BREVE TEM MAIS MÚSICA AQUI, HEIN? TE ESPERO! ABRAÇO GRANDE,

@MAAHMUSIC

DEIXE SEU COMENTÁRIO