Leitores musicais vocês estão bem?

Eu estou feliz demais, tenho tantas novidades musicais que separei para vocês nas férias rs – prepararem o coração.

E hoje o meu convidado vai te conquistar com suas músicas, o EP estar lindíssimo do inicio ao fim, eu sou apaixonada por trabalho autêntico e é isso que o músico Anderson Primo trás em seu novo trabalho.

Cantor, compositor e ator mineiro radicado no Rio de Janeiro, Anderson Primo soma suas múltiplas vivências na arte e na música ao longo de quase duas décadas e lança seu EP de estreia, “Ocê, Oceano”. O título vem de uma brincadeira com os múltiplos sentidos. “Ocê” traz a candura do povo mineiro em seus vocativos carinhosos, ao mesmo tempo que remete à grandeza do oceano, um mergulho na identidade do próprio artista. O EP está disponível em todas as plataformas de música, mas antes, que tal entender um pouco sobre cada música?  Vem comigo!

Faixa-a-Faixa:

OCÊ, OCEANO: É um canto-oração sobre os diversos pontos de vista e sobre o campo de energia em que vivemos, onde aquilo que você busca na vida, também está te buscando. O peixe que você pesca, espera ser fisgado por você! Usamos palmas, um som monocórdio que quase hipnotiza. Hipnose de predador! Inserimos também pífanos, que remetem ao congado mineiro e aos tambores de Minas. A canção namora com o eletrônico e transa o regional com o contemporâneo. Ocê é um Oceano a ser explorado. Ocê é!

PROFANO: É um bolero-libertação contemporâneo, com uma letra de amor e ódio. Fala de poliamor e de algumas hipocrisias e amarras sociais que nos sufocam. Fala de vontade e de volúpia. Tem um solo de trompete e uma guitarra marcante que a assemelham a uma trilha sonora de Tarantino. Poderia ser Pulp Fiction ou Kill Bill. Profano é a força de um amor não submisso.

JACKSON SÃO TOMÉ: São Tomé, marcado no imaginário popular como aquele que precisa ‘ver pra crer’, é o norte dessa canção. Nela, o eu lírico discorre sobre crer nas coisas intangíveis e descrer das palpáveis. Acredita na suposta morte de Paul McCartney em 1966, duvida da beleza plástica e da benevolência de Charlize Theron e do óbito de Michael Jackson, que, para o autor, está dançando “Billie Jean” nas Bahamas, enquanto o mundo ainda chora o seu luto. ‘Jackson São Tomé’ é uma crítica à hiperconectividade e ao conceito de beleza, onde todas as nossas imperfeições são mascaradas com filtros no Instagram, deixando a vida e o feed perfeitos, porém inverossímeis. A canção intui que você creia em si mesmo e que duvide do restante, inclusive do autor.

AEROFOBIA: Aerofobia é o medo de voar. Esta balada fala de um relacionamento e de sua separação causada pelo avião, que separa as pessoas e as coloca em distâncias longínquas.

SAMBA DE PRETA: Fala da mulher, do sagrado feminino que por onde passa, tudo transforma. Não dá pra escutar e ficar parado. A música possui refrão chiclete e o arranjo abusa das cordas e de percussões, trazendo um clima tropical e de muita brasilidade.

VAMOS PARAR DE LERO LERO E QUE TAL AUMENTAR O VOLUME PARA ANDERSON, APERTE O PLAY E SEJA FELIZ!

Quero ver todos os leitores acompanhando o músico nas redes sociais e bora ficar de olho nas novidades que ele irá trazer para nós.

Acompanhe Anderson Primo:

Plataformas digitais: https://linktr.ee/AndersonPrimo

Facebook: https://www.facebook.com/andersonprimooficial

Instagram: https://www.instagram.com/anderson.primo/

FIQUEM
LIGADOS QUE EM BREVE TEM MAIS MÚSICA AQUI HEIN, TE ESPERO! ABRAÇO GRANDE,
@MAAHMUSIC

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO