Leitores musicais incríveis,

Tudo bem com vocês?

Hoje tenho uma dica insana para vocês. Conheci uma cantora com uma voz magnifica. Sabe quando você escuta uma musica e ela vai lá ao fundo do seu coração? Foi essa sensação que tive quando ouvir Tai, no momento certo ouvir a música “Ainda Bem” e foi algo que me confortou.

Fui conhecer um pouco sobre a cantora e descobrir que ela possui multi-talentos. Cantora, compositora, produtora, designer e filmmaker, Tai é uma multi-artista que soube esperar a hora certa e deixar maturar sua música. Seis anos após o fim de sua última banda, ela se prepara para lançar sua carreira-solo com o single.  A canção apresenta a música como um ponto de segurança e de auto-descoberta. A faixa estará disponível para vocês aqui no final do post, mas antes tem entrevista com a cantora. Vem comigo!

Tai é um honra gigantesca ter você aqui no site. Conta pra gente o que a música significa na sua vida?

Olá, pessoal! Imagina, é um super prazer. O que a música significa? A música funciona como o ritmo de todas as coisas da vida, basicamente. Não faço ideia de como seria possível existir sem música rs

 Você atualmente está trabalhando na sua carreira solo. O que você espera desse momento? 

Hoje eu tento encontrar espaços na correria da vida pra produzir e dar ciclo aos meus próximos lançamentos. Não é uma tarefa fácil, porque tenho uma queda por priorizar os lançamentos dos artistas que trabalhamos aqui no Pomar, mas tenho compreendido que preciso incluir minhas canções nesse processo também. Não crio expectativas, até por trabalhar tão de perto da indústria assim, mas me sinto muito feliz e orgulhosa de mim mesma por estar trabalhando esse projeto.

Por que a decisão de seguir carreira solo?

Sempre tive bandas. Em todas sempre fui a única mulher. Em nenhuma delas, mesmo sendo a cantora e compositora, nunca senti que minha participação era efetiva e ouvida. Até tive casos de veto e piadas em relação as minhas músicas. Na época era desconfortável, mas naturalmente acabava passando. Depois de tanto tempo decidi que poderia transformar tudo se eu pudesse fazer tudo como sempre quis fazer.

Você é uma artista multi tarefas e trabalhar com várias áreas muito criativa. Como é para você na hora de compor e fazer a parte de gravação? 

Pra todas as atividades que faço, confesso que sempre precisei daquele tempinho sozinha, pensando tecnicamente e conceitualmente, como colocar as ideias em prática com a capacidade e estrutura que tenho. Pra compor não é diferente. Adoro estar sozinha, ter uma ideia, experimentar, anotar e depois, num outro dia, sozinha novamente, trabalhar até que eu entenda ter uma nova música. Na hora da gravação, ou de qualquer atividade do meu trabalho, sempre procuro dividir com pessoas conectadas com o que eu faço. Não gosto de trabalhar com nomes, apenas com amigos e parceiros de muita confiança.

 ” Ainda Bem” é uma musica que me identifico muito. Como foi o processo todo dela? 

Que ótimo! Bom, Ainda Bem foi feita ali entre 2013 e 2014, pra uma amiga que havia acabado de ser presa fora do país. Ser preso já é um acontecimento muito traumático, não? Nesse caso, eu considerava tão pior por conta do histórico dessa amiga. Ela havia perdido, em um curto espaço de tempo, a mãe e a avó, as duas pessoas da família que moravam com ela. Logo depois engravidou. Teve a filha e separou do atual namorado. Foi presa. Essa foi a cronologia. Quando eu parei pra pensar que ela ficaria presa e só voltaria a ver a filha depois de alguns anos, o mundo soou muito covarde e injusto. E é isso, essa música é sobre pertencimento, sobre retorno, encontros, amor. Ela foi feita pra minha amiga, mas poderia ter sido feita pra mim e pra você.

Queremos saber o que atualmente você tem escutando na sua playlist? O que indicaria para os nossos leitores? 

Sempre muito difícil essa pergunta, mas tenho ouvido os 3 últimos discos da Norah Jones, pra decorar pro show do fim do ano. Tenho escutado Sarah Abdala, que vai lançar disco novo e acho que é a melhor dica de coisa nova que posso dar pros amigos leitores. Tenho escutado Pepeu Gomes, o novo disco “Eterno Retorno” e os incríveis hits tão atuais da carreira dele. E sempre escuto por referências melódicas e de timbres sons como Bread, Pink Floyd, Rita, Marisa, Milton.

 Quem te inspira musicalmente? 

Artistas que me inspiram sempre: Norah Jones e Pink Floyd. É sempre minha fonte de paz no mundo. Rs

Da realidade, infelizmente, tirando minha gata e minha família, poucas coisas me inspiram positivamente. Mas todas as ações diárias que envolvem um pouco de amor sempre vão me inspirar. Seja o gatinho da rua que vem visitar o escritório, até um abraço, uma lembrança, uma saudade, uma história.

Entrevista quase no final. O que podemos esperar de trabalho até o final do ano?
Ah! Tava achando interessante essa dinâmica. Espero lançar meu segundo single. A música tá pronta. Falta o clipe e bater o martelo na data. Até o fim de outubro vai estar lançada.

Queremos saber como você lidar com carinho dos fãs? E com as criticas seja negativas ou positivas como você filtra?

Já tive pontos altos e baixos de críticas e elogios, tanto de fãs, quanto de imprensa e parceiros de equipe. Já participei de reality show e ali é possível ver em potencial essa relação entre crítica, elogio e o desenvolvimento da carreira. No meu caso, sempre trato como algo saudável e necessário pra não ficar parada no mesmo lugar. Não sei se essa relação polarizada das redes sociais é bacana. Como artista e profissional do mercado, acho que estamos numa busca por um entendimento sobre como lidar com esse relacionamento virtual. Vejo dois extremos muito perigosos: pessoas com depressão e muito afetadas pelo feedback desse juri internáutico cruel e muitas vezes criminoso, e pessoas desenvolvendo uma persona fria e fake pra criar uma barreira contra esse tipo de relação. Vamos ver no que vai dar essa loucura.

Antes de ir embora. Qual recado você deixa para os leitores e fãs que acompanham seu trabalho?

Primeiro, agradecer o papo e dizer que foi um super prazer participar da entrevista e poder contar sobre algumas coisas do trabalho e sobre o que penso. E por último, fiquem de olho nos meus canais pra gente ouvir juntos os próximos lançamentos. Dá pra seguir em @oficialtai Um grande beijo aos leitores e aos parceiros do Maah Music.

AHHHHHHHH, VIREI FÃ DA TAI E ESSE ANO QUERO JÁ IR NO SHOW. ENQUANTO ISSO VEM CURTIR O SOM DELA:

FIQUEM
LIGADOS QUE EM BREVE TEM MAIS MÚSICA AQUI HEIN, TE ESPERO! ABRAÇO GRANDE,
@MAAHMUSIC

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO