Tem presentão muito especial pra você hoje aqui no site. Quando eu
assistir eu fiquei encanada e claro que eu tinha que compartilhar com meus
leitores maravilhosos (as), porque quando o presente e bom eu compartilho sim!
Lau e Eu acabou de lançar um single com clipe maravilhoso para já
preparando nosso coração e segura a emoção, porque se essa musica e o clipe tá
uma coisa divina, imagina só o álbum completo?!

Vem aqui que eu te mostro!! 

Há uma fase na
vida em que perder-se e encontrar-se não parecem antônimos. É sobre esse
pequeno, porém importante, momento que fala a canção “Perdizes”, de Lau e Eu.
Primeira faixa do disco que será lançado em breve, o título é um trocadilho
entre o bairro onde o cantor morou, na Zona Oeste de São Paulo, e o ato de
perder-se.
Produzido por Gabriel Vianna, o clipe busca coerência visual entre som e
imagem. Para tal, foi pensada uma escala de cor bem definida, que se
destacasse. A ideia central do vídeo foi, a partir da coerência visual,
encontrar “vários jeitos de contar uma história
com imagens”,
analisa Lau.

A letra é um
compilado delas, a começar pela vivida por Lau quando morou em um cortiço, em
Perdizes. Ele conta que cerca de 40 pessoas viviam lá – entre elas, pedreiros,
garçons, idosos esquecidos por suas famílias. Daí, a referência no trecho
“sobreviver é coisa do cão”.

“Aprendi bastante naquele
lugar, mas passar o dia ali era inviável, insalubre e deprimente. Então todas
as tardes eu fazia o mesmo percurso até a casa de um amigo, passava os dias lá
e durante a madrugada voltava para o cortiço”,
relembra
Lau.

Em outra
história referenciada na música, o cantor obteve a inspiração para o trecho
“parece que você colou o seu coração com Super Bonder”, de uma anedota relatada
por um amigo de outro projeto musical. “Ele me contou que
viu nesses programas de pronto-socorro que um paciente teve infarto e um dos
médicos usou ‘Super Bonder’ para colar o coração do enfermo durante a cirurgia,
e funcionou! Achei interessante a ideia de colar o coração de alguém”,
conta
Lau.
É ao observar o
que acontece ao seu redor que o artista cria uma espécie de crônica musical. A
letra de “Perdizes” está a todo momento no pretérito, usando de metáforas
sensoriais para explicar o ato de “esquecer” ou “se perder”. A canção é
encerrada com a participação de GALF, um dos precursores da cena baiana de rap.

A música teve
produção, mixagem e masterização de Léo Airplaine, que também trabalhou no
beat, junto de Vinícius Big John e Dudu Prudente. O rap é de autoria de GALF,
enquanto ficam no backing vocal os cantores Dieguito Reis, Sandy
Alexandre e Dudu Prudente. A gravação aconteceu nos estúdios DdB e Ori.

CHEGAR DE
SUSPENSE MINHA GENTE MOVIDA Á MUSICA! DÁ O PLAY NESSE TRABALHO MARAVILHOSO –
estou escrevendo em letras grandes só para mostrar um pouco da minha animação – . 

Gostaram do
clipe a da musica? Muito bem feito né? Nascido em Aracaju, Lau tem se destacado
como compositor e, ao 20 anos, vem conquistando espaço nas plataformas de
música digital. Após o lançamento do seu primeiro EP “Café Frio” (2016) – na
época, ainda como uma banda – o jovem compositor mudou-se para São Paulo em
busca de novos rumos para sua música.
Faça como eu, já
correr lá nas redes sociais e saiba tudo que tá rolando , porque eu também
estarei lá conferindo todas as novidades hein!
AMANHÃ te vejo aqui?
Diz que sim vai,  conversamos sobre
música, que tal? (risos) ABRAÇO APERTADO !!

DEIXE SEU COMENTÁRIO