segunda-feira, 1 de agosto de 2016

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM OZONNA.

 entrevista

Oi leitores curiosos (as), tudo bem com vocês?

Hoje tenho uma dica insana e contagiante para vocês. Além de ser uma das minhas indicações o músico Ozonna, concedeu uma entrevista exclusiva para os leitores do blog.
Com um ouvido aguçado para misturar diversos ritmos, o atual trabalho do músico Ozonna, o EP Believe It To See It (2015), soa pop/ dance com influências de ritmos africanos. Suas composições são cativantes e traçam sua jornada musical desde a Nigéria até Londres, e agora em Nova York.

Crescendo no Reino Unido, depois de migrar da Nigéria quando criança, Ozonna descobriu que, por meio da música, a fusão dessas duas culturas iria definir seu lado artístico para sempre. “Minha música é multicultural. Não é de um lugar ou outro, e sim sobre contar diferentes histórias em todo lugar”, descreve o artista. Confira agora entrevista bem descontraída com o músico. 


Olá Ozonna, é uma prazer tê-lo aqui conosco. O que você sabe sobre o Brasil e o que você mais gosta daqui? Há alguma banda ou artista brasileiro que você admira?
Hey!! Obrigado por me receberem, é um prazer poder falar com vocês! 
Eu amo o Brasil. Está no topo da minha lista de países que quero visitar. Uma das minhas melhores amigas inclusive é brasileira, e nós temos conversado bastante sobre viajarmos para o Brasil. Logo logo isso acontece. Recentemente descobri Liniker, que foi uma recomendação que um dos meus fãs do Brasil me fez e eu estou amando o som dela agora. Eu adoraria receber mais sugestões de artistas brasileiros, simplesmente porque amo conhecer novas músicas. Vocês podem me mandar uma mensagem no Facebook ou Instagram!

Você veio da Nigéria para crescer em Londres, e agora vive em Nova York. Como você se sente tendo seu trabalho reconhecido em diversos lugares do mundo?
Eu sou tão grato pela minha música chegar a tantos lugares e diferentes pessoas. Este sempre foi o meu sonho, então isto tem me feito uma pessoa mais altruísta.  

Como foi o começo da sua carreira? Você sempre recebeu apoio da sua família para ser um artista?
No começo de tudo, quando eu comecei a fazer música, me deparei com muita resistência por parte da minha família. Meus pais ambos são muito acadêmicos e idealizaram uma vida assim para mim. Contudo, eu tinha planos diferentes e conforme o tempo foi passando e eles viram quão sério eu levava o meu trabalho na música e o quanto eu estava determinado em seguir adiante com isso, eles começaram a mudar de ideia. Hoje me dão total apoio para seguir em frente. 

Vamos falar sobre o seu novo EP. Como foi compor e gravá-lo? Quais são suas maiores influências?
Minhas maiores influências são os acontecimentos da minha vida. Gosto de escrever músicas sobre experiências pessoais e deixá-las abertas para interpretação. É a forma que enxergo autenticidade em minhas letras.
Compor e gravar esse EP foi muito divertido. É um trabalho muito sobre minha experiência de vir para Nova York, quando começou minha história de autodescobrimento e que inspirou esse EP. "We Glow" foi a única música que escrevi ainda em Londres, antes de gravar o EP. "Believe it To See it" é sobre manifestações em nós. Minhas impressões ao ir pela primeira vez para a "big apple" e conhecer as gravadoras Epic e Atlantic Records. Eu acabei não assinando com nenhuma delas mas aquela experiência das coisas não funcionarem como eu esperava logo de cara só me levaram de encontro aos ensinamentos de Abraham Hicks, que inspirou "Believe it To See it". "Wonderland" é sobre o amor e a luxúria e sobre se perder no mundo de um outro alguém. "Corrupt Mind" é uma crítica social, onde eu falo sobre consumismo. E "Smile" é uma música que celebra a vida e onde estamos agora.

Qual sua opinião sobre negros na música pop? As oportunidades são as mesmas? 
É triste que o racismo ainda seja algo que temos que lidar nos dias de hoje e como um homem negro eu noto certa resistência com algumas coisas, mas também acredito que há muito o que se fazer em perspectivas individuais. Você pode usar essa resistência da sociedade como um meio de fugir e se sentir derrotado ou enxergar pelo outro lado da história e se sentir empoderado. Digo, a maioria dos grandes artistas globais são também pessoas negras. Então isso é uma situação que eu tento não me apegar.

Quer dizer algo aos seus fãs?
Eu quero agradecer imensamente por todo amor e apoio, e dizer que amo e valorizo cada um de vocês individualmente.


Gostaram? O que acharam o músico? Deixe seus comentários!

Seu primeiro single promocional “Me & You On Top”. O EP também inclui a balada “We Glow”, a crítica social “Corrupt Mind” e “Smile”, sobre autoafirmação.
Ozonna reflete muito de sua personalidade em suas músicas: forte e ao mesmo tempo sensível. Agora, a sonoridade essencialmente autêntica de seu trabalho chega a mais países, feita para um público aberto a conhecer e se inspirar com o pop étnico do cantor, assim como ele se inspirou a conhecer o mundo.

Acompanhe o músico Ozonna
Site
Facebook
Instagram

Twitter
Amanhã tem mais música e muitas novidades.
Beijo e aquele abraço de urso \o/

@maahmusic

Nenhum comentário:

Postar um comentário