sexta-feira, 4 de setembro de 2015

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM THE DOLLAR BILLS.


Oi leitores queridos,
Tudo bem com vocês?

Hoje tenho muitas novidades bacanas para vocês. Recentemente tivemos a presença da banda The Dollar Bills aqui no blog, e recebi alguns e-mails perdido entrevista da banda. E é com muita alegria que anuncio agora uma entrevista exclusiva com The Dollar Bills. Confira agora as novidades e curiosidade da banda. 





. É com muita honra que faço entrevista com a banda The Dollar Bills. Pra começar. Por que o nome The Dollar Bills?
O prazer e a hora é toda nossa!  Dollar Bills (notas de dólar em inglês) veio como uma homenagem ao Ray Charles, que adoramos. Pelo fato dele ser cego, no início da carreira ele só aceitava receber seus cachês em notas de 1 dollar para não ser passado para trás. Além disso, é há expressão muito usada na música americana quando se quer dizer que “Fazemos música simples, que cabe no seu bolso”. E Dollar Bills têm essa característica.

. Como surgiu o amor/interesse pela música na vida de vocês? Antes da banda The Dollar Bills vocês já  tiveram outras experiências musicais?
Todos tiveram outras experiências em diversas bandas anteriormente. A Dollar foi a união de amigos que já se conheciam. Eu (Sergio) e o Patrick somos amigos de infância, o Patrick é casado com a Fernanda, e estudou com o Momesso na adolescência. E um dia resolvemos juntar tudo isso.

. Vocês começaram em meados de 2012 tocando clássicos. Por que a escolha de tocar canções covers ao invés de música própria?
No começo a ideia era fazer versões de canções consagradas “Do nosso jeito”, sempre com bastante groove, puxando para o soul e funk americano. Mas daí um belo dia começamos a gostar demais dos riffs e dos arranjos, e veio a pulga atrás da orelha de que devíamos fazer isso nas nossas próprias músicas. Mas nunca abandonar de vez as versões, adoramos revisitar nossos ídolos.

. Queremos fazer uma pequena playlist da banda quais são as quatro melhores canções dos anos 50 e 60?
Olha, são tantas! Difícil escolher. Então vamos escolher as mesma que escolhemos no round sessions, (risos). Não que elas sejam as melhores, mas certamente são boas competidoras! São elas: AIN’T NO SUNSHUNE (BILL WITHERS), UNCHAIN MY HEART (RAY CHARLES), COME TOGETHER (BEATLES) E BLUE SUEDE SHOES (CARL PERKINS).

. Como surgiu a ideia de fazer o EP "The Round Sessions" com a releitura das musicas preferida da banda?  Como foi a escolha do repertório para esse EP?
A ideia veio com um passo natural da maioria das bandas: Precisávamos registrar aquela fase de um jeito legal. Nos inspiramos muito nos vídeos no John Legend com o The Roots. A escolha do repertório foi simplesmente escolher as versões que achávamos que soavam mais legais nos shows.

. Tô sabendo que vocês já têm fãs do tempo em que tocavam os clássicos. O que podemos esperar no primeiro EP?
O primeiro EP coroa a fase das versões, acho que é a maturidade desse período. Mas a cerejinhas mesmo é a transição para nossas próprias canções, que é o primeiro single autoral (Incluso no EP), Betting. Só ouvindo mesmo pra sacar, (risos).

. Recentemente vocês lançaram o primeiro single, “Betting” da banda e que tá fazendo um barulho gigante nas redes sociais de forma positiva. Ao quê vocês creditam tão boa aceitação?
A aceitação está sensacional. Praticamente não ouvimos críticas nem ao clipe nem á música. Pelo contrário: Só elogios! A letra é bacana, a mensagem é legal, a melodia pega, o groove é bom e tudo mais. Acho que é um belo soul clássicão, e em geral isso tem uma bela aceitação.

. A canção “Betting” além do primeiro single da banda, foi o primeiro clipe. Como surgiu a ideia e o roteiro do clipe?
O Patrick é o diretor dessa parte. Ele tem ideias toda hora de todos os tipos. Mas por sermos uma banda pequena, acho que a ideia de tocar a música escondida numa loja pra ver a reação representou um pouco do sonho de toda banda no começo: conseguir a reação natural e verdadeira das pessoas.

. Somos muito curiosos. O que podemos esperar do EP da banda? Como está sendo o processo de gravação? Terá participações especiais?
Surpresa! (risos). A gravação está sendo muito legais, as músicas estão prometendo muito. Vai remeter ao bom e velho funk, mas ao mesmo tempo coisa ali, mas pesada. Um pouco de James Brown, um pouco de Dap Kings, um pouco de Dollar. Participações especiais estão sendo cogitadas, (risos). Mas nada é certo ainda.

. As canções do novo EP, o que podemos esperar das letras? O que inspira na hora de compor?
Letras de todo o tipo, (risos). Mas sempre numa linha meio introspectiva. Tem uma música que é uma narração de uma mulher P* da vida com seu ex. Outra fala de vícios e rotinas. Outra sobre manter o Beat da vida. E por aí vai!! A inspiração é o dia – dia nosso mesmo.

. Entrevista quase no final. Quais as próximas novidades, lançamento e agenda de show?
Show dia 22/09 no Bourbon Street, ai ser imperdível, tocaremos o EP inteiro antes do lançamento. Depois tem dia 26/09 no Boss, e dia 10/10 na casa amarela (SBC). E o próximo EP já tá nos planos para 2016, com músicas prontas e tudo!

Vamos parar com esse BLÁ, BLÁ,BLÁ e curtir o sessions da banda? Dá o play! 



Gostaram? O que vocês acharam da entrevista?  Deixe seus comentários.

Eu quero deixar meu agradecimento a banda The Dollar Bills pela oportunidade de estar fazendo essa entrevista: obrigada!

Eu sei que o pessoal do meu blog adora música, então eu vou deixar uma dica para vocês que querem saber mais sobre a banda e acompanhar as novidades, é fácil galera, acessem:




Amanhã tem mais música aqui no blog. Fiquem ligados que tem muitas novidades e lançamento!
Beijo da fofa, 
@maahmusic

Nenhum comentário:

Postar um comentário