quinta-feira, 2 de julho de 2015

2 em 1 pela primeira vez.


A volta dos que não foram! Não, não o nome de um filme trash de zumbis dos anos 80, e sim a volta desse colunista enrolado que você lê agora. Depois de muito tempo, eu, o senhor manolo estou de novo por aqui.  Antes de mais nada, peço desculpas a todos que gostam dos meus textos pela demora, e gostaria de falar que a minha volta foi devido à um belo espetáculo, que aconteceu dia 1/07, quarta feira passada.



Pela primeira vez, tive duas experiências inéditas e que serão muito difíceis de serem esquecidas:  Vi o show de um grande grupo de samba chamado Casuarina, homenageando o grande compositor Dorival Caymmi, e tive a oportunidade de conhecer o teatro NET SP.
Quero começar esse parágrafo dizendo, que por toda minha vida sempre fui a muitos shows, independente da fase musical na qual eu me encontrava, eu sempre dava um jeitinho pra ir em shows. Seja mais novo quando só ouvindo metal pesado, seja agora, mais velho e mais eclético, continuo indo a shows. Um a coisa em comum em todos esses shows durante minha vida é que todos eles foram aqueles shows tradicionais em que você fica em pé, no meio da massa, pulando feito maluco e cantando até seu pulmão explodir. Só que, na semana passada, tive uma experiência de show completamente oposta a toda essa loucura, que afasta muita gente, mas que atrai muitos fãs malucos por seus músicos e musicistas favoritos.
Eu fui ao Teatro NET SP. E devo dizer à vocês meus amigos, um lugar fantástico, com um clima muito intimista e acolhedor onde você se sente muito mais próximo à quem se apresenta no palco que fica a poucos metros do seu nariz. Foi algo completamente novo pra mim e digo que eu adorei tudo isso. Pode não ter aquela loucura de gente pulando e dançando, mas eu comparo à beber uma bela dose de whisky de 21 anos, bebendo aos poucos apreciando cada mililitro daquele líquido de gosto forte e marcante. É isso, espaços como o teatro NET proporcionam uma experiência muito mais detalhista e apreciativa do espetáculo, de tão perto do palco, quando você canta junto, não vai ser nada difícil se achar perto da apresentação. Eu vou continuar indo à shows com milhares de pessoas, pulando e cantando, ficando em pé até meus joelhos doendo no dia seguinte, pois ir à um show como esse é a emoção mais crua que a música pode te proporcionar, mas sem dúvidas que viciei nesse clima mais intimo e aconchegante que um teatro pode proporcionar.
Falando de música agora, eu vi mágica no palco do teatro, sim meus amigos, o grupo Casuarina foi uma excelente surpresa. Fui completamente no branco, ou seja, nunca antes tinha ouvido falar deles antes e, acho que esse fato acabou ajudando muito, eu tive uma das experiências musicais mais incríveis q tive nesses 26 anos de vida. O grupo apresentou seu repertório do seu ultimo CD em homenagem ao compositor Dorival Caymmi.
Além das músicas que já viraram hinos pra quem gosta de samba e pra quem gosta de música de qualidade, outro fator que transformou esse show em algo realmente especial foi a sintonia do grupo entre si e com o público, sem falar da qualidade gigantesca com os instrumentos dando vida à poesia de Caymmi . O grupo se apresentou com apenas os cinco músicos principais que conseguiram, de maneira exemplar, preencher todo o teatro e o coração de quem ouvia com sua música. O público, que talvez devido ao lugar, começou o show mais comportado e apenas se manifestando com palmas ao final de cada música, aos poucos foi entrando no clima do show. O que começou com batidinhas tímidas na perna acompanhando o compasso das músicas foi se transformando em uma empolgação cada vez maior até que culminou num grande coral de umas cem vozes cantando à plenos pulmões e pedindo bis como qualquer pessoa contagiada por excelentes músicos que tratam seu expectador como tratam seus instrumentos, com muita habilidade e carisma.


Eai gostaram da resenha do Senhor Manolo? O que acharam do grupo de samba Casuarina ? Comente aqui.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário