Hello, leitores mundial.
Tudo bem com vocês?

Vamos
às novidades e entrevista exclusiva aqui no blog. A TRIBE foi formada em 2010 em Los
Angeles, Califórnia, pelos brasileiros Denner Vieira (guitarras) e Rick Pivetta (bateria) e o britânico Jamie Waite (vocal/baixo).
Em 2013, a TRIBE lançou o EP debut “Through The Veil”.
Após muita expectativa, o trio americano de metal progressivo TRIBE lançou oficialmente seu novo álbum, “Atlas”.
“Atlas” foi gravado no Echo Bar Recording Studios, em North
Hollywood, junto com o produtor musical Erik Reichers. O primeiro álbum full-length da TRIBE traz uma abordagem pouco
ortodoxa, com sessões de gravação e mixagem espalhadas ao longo dos últimos 18
meses.
“Atlas é uma viagem
introspectiva que lida com a dor de deixar tudo para trás para seguir seu
coração, o sentimento de se desconectar em nosso mundo moderno e suas
armadilhas, além das experiências coletivas subconscientes que nos fazem
lembrar de que nós todos somos uma mente universal”
, diz o vocalista e baixista, Jamie Waite.

Confira agora no blog entrevista exclusiva com a
banda TRIBE. 

 –
É uma honra ter a banda Tribe aqui no Blog Maah Music. Conte como foi que
iniciou a banda? Antes de formar a banda vocês já trabalhavam no cenário da
música?
Salve, galera ligada no Blog Maah Music!
Basicamente tudo começou em 2010 quando dois músicos brasileiros (o guitarrista
Denner Vieira e o baterista Rick Pivetta), que já moravam e tocavam em Los
Angeles desde 2006, conheceram um britânico (o vocal/baixista Jamie Waite) por
um anúncio de jornal. De uma forma coletiva, então, formamos a Tribe.
 –
Por que o nome Tribe?
Queríamos um nome que pudesse refletir
todas as influências e tendências que gostamos e fazemos parte. E o nome Tribe
significa coletar nossas experiências, culturas e conhecimentos de uma forma
honesta, criando a nossa música de forma coletiva.
 –
Vocês são uma banda americana de metal progressivo. Qual o rótulo que os fãs ou
críticos brasileiros dariam para vocês?
É difícil falar de rótulos, acho que o
público brasileiro e a mídia em geral pode nos ver como uma banda de metal
progressivo com elementos tribais, pois usamos percussão e instrumentos
tradicionais do Brasil para complementar nossa música.
 –
Já ouvi o EP de estreia de vocês (“Through the Veil”, de 2013). Como foram as
gravações e a escolha das músicas do novo álbum, “Atlas”?
O processo de gravação tanto do EP debut
como do novo álbum, “Atlas”, foi feito em nosso estúdio (The Echo Bar), em
North Hollywood, na Califórnia, com o conceituado produtor musical Erik
Reichers. As músicas são escolhidas sempre por processo seletivo. O ano passado
foi meio turbulento, porém, emocionante para a Tribe. Houve inúmeros atrasos na
gravação do álbum novo, tudo isso para criarmos a melhor produção possível,
incluindo uma abordagem não ortodoxa com sessões de gravação e mixagem se
alongando por mais de 18 meses. Foi uma jornada insana criar este álbum de
forma independente (incluindo o lançamento pelo nosso próprio selo, Primitive
Records), mas ao fazê-lo, nós mantivemos toda nossa liberdade criativa e
construímos algo que estamos todos muito orgulhosos. Estamos ansiosos para todos
ouvirem logo o álbum na íntegra!
 –
Quais são as influências musicais da banda?
As influências da Tribe vão do metal
internacional (como Tool, Deftones, Meshuggah, Rammstein) à música brasileira
de boa qualidade, como Chico Science.
 –
Vocês costumam ouvir som de bandas brasileiras também? Quais?
Sim, o Brasil tem um cenário underground
de muita qualidade e precisa ser mais valorizado. Entre tantos outros artistas,
nós destacamos um nome de Campo Grande, Mato Grosso do Sul: a banda Jennifer
Magnética (
https://www.facebook.com/jennifermagnetica).
 –
A banda Tribe tem fãs aqui e fora do Brasil também. Como é a relação de vocês
com os fãs?
Ótima! Nossos fãs são muito fieis à
banda, sempre apoiando e colaborando. Temos uma relação bem próxima com os
nossos fãs por meio da comunidade criada em nosso próprio site oficial, assim
como nas redes sociais.
 –
Qual é o grande diferencial do cenário musical daqui do Brasil e fora? Onde as
pessoas têm mais oportunidade de mostrar seu som?
Ambos os cenários são muito difíceis de
se estabelecer por motivos diferentes. Para o nosso estilo, achamos que o
cenário norte-americano é um pouco mais favorável em relação à cena brasileira.

 – Quais são as
próximas novidades que podemos aguardar da Tribe?
Agora estamos focados na divulgação do
“Atlas”, nosso primeiro álbum full-length, em seguida, nós partiremos
para uma turnê norte-americana. Nós já estamos planejando mais datas para pegar
a estrada e estamos ansiosos para compartilhar a experiência ao vivo com os
fãs. Estamos fazendo alguns shows na Califórnia e uma turnê está a caminho.
 –
Quais artistas e músicos cada integrante da banda está ouvindo no momento?
Rick: Primus e Lenine.
Jamie: David Bowie, Queen, Savage Garden,
Jakob (da Nova Zelândia), Karnivool (da Austrália).
Denner: Deftones, Smashing Pumpkins, Pink
Floyd, Soundgarden, Nailbomb, Meshuggah e muita bossa-nova.
 –
Qual recado vocês deixam para os fãs e a galera do blog Maah Music?
A toda galera ligada no blog, um forte
abraço da Tribe, e com certeza o ano de 2016 está reservado em nossa agenda
para uma turnê no Brasil. Aguardem!
Que tal ouvimos o álbum novo da
banda?  Dá o play moçada!

Gostaram? O que vocês acharam do novo
álbum? Deixe seus comentários!

Eu gosto bastante do trabalho anterior da
banda e acho que o novo álbum está melhor ainda, adorei do começo ao fim, não
tem como gosta apenas de uma música! Espero ter a oportunidade de ir ao show da
banda aqui no Brasil, estou ansiosa pela turnê.

Se você gostou do novo trabalho da banda
e está super ansiosa(o) pela turnê deles aqui no Brasil, acompanhe as
novidades, acessem: 

Photo: Bonnie Neal Photography

Bom, amanhã tem
mais música e novidades aqui no blog. Não percam galera!
Beijo e um abraço
apertado porque está muito frio em SP! (risos)
@maahmusic 

DEIXE SEU COMENTÁRIO