Oi, queridos leitores.

Hoje tenho uma grande dica para os leitores de São Paulo. O palco recebe
Casuarina – No Passo de Caymmi no Theatro Net São Paulo, na Vila Olímpia, no
dia 1° de julho. O repertório reúne canções representativas de todas as fases da
carreira do artista, um dos maiores da história brasileira e marca o lançamento
do sexto CD do grupo.
O quinteto formato por Daniel Montes (vilão de 7 cordes), Gabriel
Azevedo (voz e pandeiro), João Cavalcanti (voz e tantan), João Fernando
(bandolim e vocais) e Rafael Freire (cavaquinho e vocais) reproduz no palco o
estilo artesanal, sofisticação e a simplicidade que a obra de Caymmi imprime. Pelo CD “No Passo de Caymmi”, o grupo acabou
de ser indicado ao Prêmio da Música Brasileira, na categoria Melhor Grupo de
MPB. A premiação acontece no dia 10 de junho, no Rio de Janeiro.
Confira a entrevista exclusiva com Casuarina.
Foto de Alice Venturi 

– Por que o nome Casuarina?
Casuarina é um grupo
de samba, formado em 2001. Desde o início ensaiávamos na casa do
cavaquinista Rafael Freire, na Rua Casuarina, no bairro do Humaitá, Rio de
Janeiro. Decidimos, então, colocar “Casuarina” como forma de
homenagear o lugar onde tudo começou.
– O que fez vocês se apaixonarem pelo samba? Além do samba,
quais outros ritmos musicais vocês gostam de escutar?
RAFAEL
FREIRE – Existe uma infinidade de sambas maravilhosos que primam tanto pelo
arranjos e melodias como pela riqueza poética. Por isso acho que essa paixão se
deu de forma bem natural. Cada um dos cinco escuta o que melhor lhes soa aos
ouvidos, não estamos fechados a nada.
– Já dizia minha
amiga americana, “samba é alegria e dançante”. Na opinião de vocês, o
que o samba representa?
DANIEL
MONTES – Diferentemente da sua amiga, Vinícius dizia que “pra fazer
um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza”. Com o olhar distante
das construções líricas, digo que samba é feito de alegria e de dor, de dança e
melancolia, de encontro e solidão. O samba representa fundamentalmente a música
brasileira.
– Qual foi o momento mais importante ou inesquecível do grupo
Casuarina? 
JOÃO
FERNANDO – Um dos momentos inesquecíveis foi a gravação do DVD 10 anos de
Lapa, no palco montado junto aos Arcos da Lapa, no Rio. Foi a realização de um
sonho poder festejar essa data e a realização de um trabalho grande em praça
pública, no lugar onde tudo começou.
– Quais as influências musicais? Vocês têm gostos musicais
parecidos?
JOÃO
CAVALCANTI – Cada um tem suas bagagens e referências, mas é o samba que
nos une. Dentro desse universo, sempre citamos Wilson Moreira, nosso mestre-mor
e amigo querido.
– Como é o processo de composição das canções de vocês? O
que os inspira a compor?
JOÃO
CAVALCANTI – Há muitas maneiras de compor e tudo pode ser ponto de
partida, de um sorriso de um filho a um filme que assistimos. Há canções que
saem de forma mais intuitiva, há outras mais trabalhosas, que demandam um pouco
mais de burilação. Não há regra!

– O show “No Passo de Caymmi”, aqui em São Paulo, marca o
lançamento do sexto CD do grupo. Qual a percepção desse novo trabalho? 

GABRIEL
AZEVEDO – Pela primeira vez nos dedicamos a obra de um único compositor, o que
acabou nos obrigando a ser um pouco mais ousados nos arranjos, feitos pela
dupla Daniel Montes e João Fernando. Pela primeira vez, também, fizemos uma
gravação com apenas os cinco integrantes originais do grupo, sem nenhum músico
convidado, o que foi bom para, de certa forma, imprimir e reforçar essa
estética. O resultado ficou incrível, e a resposta do público está sendo ótima.

– E como vocês lidam com as críticas positivas e negativas? 

GABRIEL
AZEVEDO – As críticas fazem parte desse jogo que resolvemos jogar. Quando
preparamos um trabalho, nos dedicamos e tentamos imprimir nossas emoções e
sentimentos, estamos dando a cara a tapa, e prontos para receber tanto críticas
positivas quanto negativas. Lógico que é sempre gratificante receber elogios,
mas a crítica negativa, quando bem fundamentada, pode ser uma importante
ferramenta para pensarmos a respeito de nosso próprio trabalho.
– Queremos
saber sobre o gosto musical de cada um de vocês. O que vocês estão escutando

atualmente?

DANIEL
MONTES – Atualmente o disco que mais escuto chama-se ‘Daar Buiten loopt
een schaap’. É um disco holandês de música infantil (tenho um filho pequeno)…
Mas estou escutando também, incessantemente, Aníbal Augusto Sardinha, o
Garoto. Em julho farei em São Paulo uma homenagem ao compositor e o momento é
de pesquisa e preparação para o show.
GABRIEL
AZEVEDO – 
Bem, somos uma banda de gosto bem
eclético, apesar de termos marcado nosso território no meio do samba e da
música popular brasileira. Eu costumo ouvir mais música brasileira e ando
escutando bastante o novo disco do cantor e compositor Marcos Sacramento, o
“Autorretrato”. 
JOÃO
CAVALCANTI – Gosto de quase tudo e ouço sem ordem, sem regra e sem
limites. Do português António Zambujo ao uruguaio Jorge Drexler, passando pelos
cariocas Moyseis Marques e Jonas Sá e pelos paulistas do 5 a Seco. Tá, ao que
parece tenho ouvido mais homens do que mulheres!
JOÃO
FERNANDO – Ouço de tudo um pouco, mas agora tenho escutado bastante o CD
“Lado D de Delcio Carvalho”, com as parcerias menos conhecidas do
Delcio com a D. Ivone Lara. Infelizmente o Delcio veio a falecer antes do
lançamento do disco, mas as canções permanecem na cabeça. Escute esse
disco uma vez e nunca mais você vai conseguir sair de perto dele. 
RAFAEL
FREIRE – No momento estou escutando muito um CD que acabei de adquirir, é
um clássico! “Francis Albert Sinatra e Antonio Carlos Jobim – The Complete
Reprise Recordings”.
– Quais as próximas novidades, lançamentos e agenda de shows?
Em
junho estaremos na Europa para uma série de shows e, no final do mês (30 de
junho), faremos o show do CD ‘No Passo de Caymmi’ no Theatro NET Rio. No dia
seguinte (01/07), estaremos no Theatro NET São Paulo com o mesmo show.
Voltaremos a São Paulo em julho ainda, dia 24, para fazer no Cine Joia um show
com repertório de todos os nossos CDs. E, em agosto, estaremos em turnê nos
EUA.  


– Hoje vocês comandam o blog. Qual música vocês deixam para os
leitores?
JOÃO
FERNANDO – Vou sugerir “Storia Storia”, da cantora Mayra
Andrade. É do álbum homônimo de 2009.
– Qual mensagem vocês deixam para os fãs e leitores do blog?
DANIEL
MONTES – Divirtam-se! 😉

Dá o play na indicação do grupo!!  

Gostaram?  O que acharam da
entrevista? Deixe seus comentários!
Estou ansiosa para o show. E se você
tem oportunidade de ir ao show, vai e seja muito feliz.  Eu sempre vou
embora do Theatro Net São Paulo apaixonada e com o coração cheio de amor. É
alegria contagiante. Vale à pena!

Fiquem
por dentro de todas as novidades do Theatro Net SP e saiba toda a programação.
Acessem:  


Canal youtube: http://migre.me/ma1oZ
Bom, eu vou curtir mais um pouco do som do grupo. Amanhã tem mais
música aqui no blog.
Beijo,
@maahmusic

DEIXE SEU COMENTÁRIO