terça-feira, 14 de abril de 2015

Entrevista Exclusiva com a banda Linda Martini.


Oi queridos leitores musicais,

Hoje eu tenho uma das melhores dicas e vocês sabem que, quando eu falo isso, é porque é para valer! O Blog Maah Music traz então a banda Linda Martini.
A banda Linda Martini surgiu em 2003 e são uma banda de Rock. A sua formação atual – André Henriques, Cláudia Guerreiro, Hélio Morais e Pedro Geraldes. Desde a edição do primeiro EP, em Janeiro de 2006, que a banda tem sido bastante acarinhada por todos.
Em 2006, o single “Amor Combate” foi considerado o single do ano, no mesmo ano, o disco de estreia – “Olhos de Mongol” - é distinguido como “disco do ano” para os leitores da revista Blitz.
Em 2008 a banda edita um EP em vinil, exclusivamente, e esse mesmo disco é considerado o “segundo disco do ano” para os leitores da revista Blitz. 2009 é ano de reedição do álbum de estreia – “Olhos de Mongol” - em conjunto com o primeiro EP.
Em 2010 é gravado o segundo longa duração – “Casa Ocupada” -, disco que eleva a banda para outro patamar.  No ano em que a banda comemorou 10 anos, eles gravaram o seu terceiro trabalho – “Turbo Lento” -, pela Universal Music Portugal.

Confira agora entrevista exclusiva com a banda.



. Banda Linda Martini é um prazer receber vocês aqui no site.  Vocês iniciaram a
banda em 2003. O que mudou de 2003 até hoje? 
Não mudou muita coisa, estamos um pouco mais velhos, mas com a mesma vontade de fazer música juntos. É claro que temos mais gente a ouvir-nos, mas isso não mudou muito o processo. Começa sempre conosco na sala de ensaios a tentar fazer barulho que nos soe bem.

. Por que o nome “Linda Martini”?
É o nome de uma amiga italiana do Pedro que fez intercâmbio numa universidade em Lisboa. Gostámos da sonoridade e ficou, nada mais.

. O primeiro EP da banda em 2006. Vocês tiveram uma ótima resposta do público.
Como vocês lidaram com isso? Como vocês vê a crítica negativa? 
Continua a surpreender-nos que tanta gente dedique o seu tempo a ouvir o que fazemos, não contávamos ter tanta atenção. As críticas são todas bem-vindas, boas ou más. Gostamos de as ler, mas no final do dia tentamos não pensar muito nisso. É a nós que temos de agradar, antes de mais alguém nos ouvir. 

. Em 2008 vocês lançaram o Ep para vinil. Vocês ouvem música em Vinil? O que vocês acham do Vinil?
Sim, todos crescermos com o vinil em casa dos pais e gostamos do seu regresso. Parece que numa altura em que o valor da música está cada vez mais depreciado, o vinil mantém alguma nobreza, é um objecto único. Precisa de tempo e dedicação para se ouvir, não podes fazer shuffle, é um bocado contracorrente nos dias de hoje em que ninguém tem tempo para nada.

. Logo depois vocês lançaram o primeiro EP da banda, “Olhos de Mongol”. Como foi recebe a noticia do grande sucesso do primeiro álbum da banda?  O que mais marcou esse momento?
Para nós, o primeiro EP (auto-intitulado) é que foi o início de tudo. Logo aí começámos a ter atenção. O “Olhos de Mongol” resultou muito bem e veio consolidar o nome, funcionou quase como o segundo álbum que tem a fama de ser o grande teste para as bandas. Não nos podemos queixar, temos sido muito bem recebidos.

.  O álbum mais recente é de 2013, “Turbo Lento”. O que esse trabalho tem de
diferente dos outros? Quais foram as influencias desse trabalho?
Condensa os nossos dois lados, um mais espacial e experimental e outro mais directo e imediato. As influências são várias, mas tentamos não ouvir coisas parecidas para não nos influenciarmos. Por exemplo, durante esse disco andava a ouvir muito hip-hop e não é algo que te lembres quando ouves o disco.

. Como foi o processo de gravação do álbum “Turbo Lento”?
Gravar é um processo de decisão constante. Quando vamos para estúdio já temos o disco quase feito. Como somos os produtores, acabamos por nos concentrar nos detalhes e decidir o que fica melhor para cada música. É um processo divertido, mas que pode ser cansativo e esgotante.

. Queremos saber sobre o gosto musical de cada um de vocês. O que atualmente
vocês estão ouvido?
 Temos gostos parecidos, mas é raro andarmos a ouvir os mesmos discos. Desde o hip -hop que já falei, música africana, brasileira e várias outras coisas.

. Vocês conhecem o Brasil? Gostam da música brasileira?
Sim, alguns de nós já foram ao Brasil de férias, nunca tocámos aí. Aqui em Portugal ouve-se muita música brasileira. Quando eramos putos ouvíamos as músicas das novelas, roque santeiro, tieta e essas coisas. Depois, mais tarde, o tropicalismo, o Chico Buarque, sei lá. Há uma banda que eu e o Pedro gostamos muito que são os Patife Band. 

. Entrevista quase no final. Quais as próximas novidades e agenda de show?
Temos algumas coisas marcadas até ao verão em Portugal, mas iremos fazer menos datas este ano porque queremos compor para um novo disco. As datas vão sendo anunciadas no nosso facebook.

Vamos parar com esse BLÁ,BLÁ,BLÁ e curtir o som da banda?  Dá o play !! 



Gostaram? O que acharam da entrevista e do som da banda Portuguesa?  Deixe seus comentários!

É impossível não gostar deles! Bom, faz o seguinte saiba tudo sobre a banda e as próximas novidades, acesse:

 Foto do Ricardo Filho de Josefina.


Eu fico por aqui. Amanhã tem muito mais para vocês, então fiquem ligados no Maah Music!
Beijo,
@maahmusic

Nenhum comentário:

Postar um comentário