Tiago Iorc está viajando o Brasil com sua turnê Voz + Violão, e no
sábado passado, dia 18, ele esteve em Porto Alegre, se apresentando no Teatro
Bourbon Country. Eu fui lá pra conferir o show desse cara que admiro tanto, e
tô aqui pra contar tudinho pra vocês sobre como foi!


Pra começar, cada coisa em seu lugar..

Foi assim que Tiago deu início a uma performance que tornou
incrível a noite para tantas pessoas que lotaram o Teatro do Bourbon Country. O
músico provou que não é preciso mais do que literalmente a voz e o violão para
transmitir todo o sentimento por trás de suas canções; elas foram tão
maravilhosamente executadas, com a iluminação trazendo um toque ainda mais
intimista, que permitiu que cada um na platéia pudesse apreciar o som de maneira
particular, podendo guardar impressões pessoais sobre cada canção – e não havia
outra maneira de assistir o show, foi simplesmente impressionante.

Seguiu com Life Of My Love, Story Of a Man, Morena, e Tempo
Perdido – com uma sensibilidade incrível. Trouxe então ao palco sua versão de
Magic do Coldplay, uma de suas influências, e aos primeiros acordes de Nothing
But a Song fez a platéia vibrar, e cantar em coro o refrão da música que foi o
primeiro sucesso de sua carreira.

Nós, de primeira viagem em um show dele, nos surpreendemos com a
abertura e interação com o público. Em todos os momentos foi simpático, fez a
platéia rir e relaxar, o que deixou o ambiente leve e bastante agradável.
“Podem pedir músicas” disse ele, e acrescentou, rindo, “só não
significa que eu vá tocar!”. Veio de algum canto do Teatro o clássico
“toca Raul!”, e ele atendeu, interpretou belamente trechos de
Metamorfose Ambulante. Em sequência tocou Blame, e então trocou, por um
momento, o violão pelo ukulele. Foi a vez de It’s a Fluke e, enquanto ele
tocava, as luzes dançavam pelo palco ao ritmo desacelerado da canção.


Tiago claramente se divertia enquanto nos encantava com seu
talento e competência musical. Trouxe à setlist a parceria com Silva na música
Forasteiro, e em seguida ameaçou encerrar a apresentação com Música Inédita (do
amigo Duca Leindecker, que também prestigiou o show), fazendo o público ficar
de pé e interagir com muitas palmas. Saiu de cena após a canção, mas após
pedidos bem sucedidos de “mais um!” ele voltou com emocionantes mais
três: My Girl, Dia Especial (também de Duca) e, por fim, Sorte.

Com o perdão do trocadilho, “sorte” foi a nossa de presenciar e
apreciar um show tão intenso e ao mesmo tempo tão suave. Ele é um grande
artista, e já se tornou referência no cenário nacional e também no
internacional. Se você tiver a oportunidade de assistir a uma apresentação de
Tiago Iorc, aproveite. É um investimento fantástico de tempo.


Gostaram? Qual música
vocês mais gostam do cantor?  Deixe seus
comentários!
  
Então
é isso moçada, eu vou indo nessa ao som do 
Tiago Iorc.  
Beijo,
Texto: Natália
Schneider / Foto: Ana Paula Fiedler. 


Deixe seu Comentário