sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Lindsey Stirling: “clássico eletrônico”.


Em mais uma das minhas andanças pela internê eu descobri um gif no qual tinha três mulheres dançando e uma delas tocava violino enquanto dançava. Esse gif chamou minha atenção imediatamente. Tinha que descobrir de onde vinha isso, pois claramente era algo muito diferente do que já tinha visto. Entrei no YouTube, digitei o nome que falavam no fórum do site que eu vi o gif, vi o vídeo e, automaticamente, fiquei estarrecido quando eu vi isso:



Origem para o grande público.



Em 2010, Lindsey participou do programa de talentos America's Got Talent. Sua primeira apresentação foi ovacionada por público e jurados que ficaram estarrecidos com seu estilo completamente novo e diferente. Ela mistura um instrumento clássico com música pop e eletrônica e em alguns tracks chegando até usar o DubStep. Porém, como de praxe em programas de calouros como esse, o talento não vence e Lindsey acabou perdendo nas quartas de finais do programa. A partir daí ela criou seu canal no YouTube e virou um fenômeno musical da internet, o que possibilitou a gravação de seus dois discos, três EPs e uma cassetada gigante de Singles, além de várias participações especiais como:

- 2012: "Starships - Nicki Minaj" (com Megan Nicole)



- 2013: "Radioactive" (com Pentatonix)



- 2012: "A Thousand Years" (com Kurt Hugo Schneider and Aimée Proal)



Representante dos NERDS!


Sim meus amigos, pra quem gosta de vídeo game e cultura nerd, Lindsey gravou vários medleys de personagens de vídeo game, filmes, séries e desenhos famosos.
Além do fantástico Zelda Medlay 2011 (foto acima), ela também gravou: Game of Thrones (2012), Skyrim (2012), Lord of the Rings Medley (2012),  Pokemón Dubstep Remix (2013), Star Wars Medley (2013), Halo Theme Song (2013) e Mission Impossible (2013).

Zelda:



Game of Thrones (2012):



Skyrim (2012):



Lord of the Rings (2012):



Pokemón (2013):



E ao vivo??


Sempre que conheço um artista musical novo eu penso logo: “e ao vivo?”, pois é ao vivo que nós vemos quem é bom e quem não é, afinal, somos inundados todos os dias por cantores e cantoras de estúdio com autotune até o pescoço e acaba disfarçando a falta de talento. Quando eu vi pela primeira vez o clipe da Stirling eu fiquei maluco pra saber como seria ela no palco, porque pra mim, dançar e tocar violino me parece algo impossível mantendo a qualidade nos dois aspectos ao vivo, bom aí fui ver um vídeo de um show dela e fiquei sem palavras:



Concluindo....
Eu virei fã instantâneo dela quando descobri seus vídeos e, acredite em mim, tem muuuuito mais de onde esses vieram. Com um trabalho primoroso e absurdamente talentoso de uma mulher que nasceu em uma cidade pequena da Califórnia você vai se divertir até dizer chega com todos os estilos diferentes. Outro aspecto extremamente importante para você saber, amigo leitor, é o fato de Lindsey nunca se entregar ao mercado e modificar seu estilo. No próprio programa que a projetou para o mundo foi dito para ela que seria necessário ela mudar o estilo e ter uma banda, pois, na visão deles, somente ela se apresentando não seria o suficiente para o público. Depois de quatro anos e tantos trabalhos excelentes com parcerias ou sozinha, ela provou quem estava certo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário