sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Música no cinema 2/3.

Holla holla, de volta para a parte dois dessa trilogia musical. Se você ainda não viu a parte um clique aqui

E nessa segunda parte falarei sobre alguns dos maiores compositores de trilhas originais e suas obras. 

Compositor 1: Ennio Morricone
Este maestro Italiano é responsável por todas as melhores trilhas de filmes de cowboys. Aquela época em que Clint Eastwood congelava seus adversários apenas com um olhar, e tinha o saque mais rápido do oeste. Dentro desse tema Ennio é imbatível devido à sua parceria com o diretor Sergio Leone, onde ambos criaram 4 dos melhores e maiores clássicos sobre o assunto. Esses filmes são: A trilogia do dólares com os filmes Por um punhado de dólares de 1964 (A Fistful of Dollars ou Per un pugno di dollari), Por uns dólares a mais de 1965 (For a Few Dollars More ou Per qualche dollaro in più) e O bom, o mau e o feio de 1966 (The Good, the Bad and the Ugly ou Il buono, il brutto, il cattivo); E o incrível Era uma vez no oeste de 1968 (Once Upon a Time in the West ou C'era una volta il West). Esses 4 filmes são ícones do gênero e são embalados pela impressionante composição de Morricone. Pra você que não viu os filmes, corra! Mas para um aperitivo:


Por um punhado de dólares:



Por uns dólares a mais:



O bom, o mau e o feio:



Era uma vez no oeste:



A obra do maestro é extensa, tendo cerca de 500 composições para filmes e programas de TV, ele ganhou vários prêmio pelo seu trabalho e entre eles estão inco prémios BAFTA (British Academy of Film and Television Arts) entre 1979 e 1992, e um Oscar honorário "pelas suas magníficas e multifacetadas contribuições musicais ao cinema" em 2007 onde recebeu a homenagem das mãos do homem sem nome (personagem de Clint Eastwood na trilogia dos dólares).

Compositor 2: Hans Zimmer

Zimmer, ao contrario de Morricone começou a carreira como tecladista de duas bandas alemãs 'Ultravox' e 'The Buggles'. Nos anos 80 ele começou a compor trihas sonoras, em 1989 foi recebeu sua primeira indicação ao Oscar de melhor trilha sonora com o filme Rain Man. Naquele ano ele concorreu contra:

O vencedor Dave Grusin com a trilha do filme The Milagro Beanfield War:



John Williams por The Accidental Tourist:



Maurice Jarre por Gorillas in the Mist: The Story of Dian Fossey:



A partir dessa indicação ele começou a trabalhar mais com cinema, se especializando no assunto, e em 1995 ele brindou o mundo com a inesquecível trilha sonora do filme Rei Leão. Aposto todo mundo já está cansado de assistir e re assistir mas não posso de deixar de falar da minha música favorita:

Circle Of Life



Zimmer ganhou o Oscar de melhor trilha Sonora e sua carreira ganhou status de astro e com isso vieram dúzias de composições pro cinema e uma obra variada e de extrema qualidade.

Compositor 3: Bernard Herrmann

Herrmann era um mestre na composição de trilhas sonoras, poucos conseguiam imprimir tão bem uma emoção em um filme. Ele foi responsável por trilhas que dominaram a mente do espectador de cinema na década de 1960. Sua parceria com o diretor Alfred Hitchcock deixou muitas pessoas com um frio gigantesco na espinha e um medo inacreditável na hora do banho por causa dessa obra prima:



A dupla ainda trabalhou em outros grandes filmes como Intriga Internacional (North by Northwest), The Man Who Knew Too Much (The Man Who Knew Too Much) e Vertigo. Todos os filmes são excelentes e possuem um toque especial de suspense graças ao grande Bernard Hermann. Além dessa parceria histórica Herrmann compôs outras duas trilhas que ficaram para a história e ajudam à dois dos meus filmes favoritos a serem tão bons quanto poderiam, são eles:

Cidadão Kane (Citizen Kane):



Taxi Driver:



Compositor 4: Nino Rota
E Finalmente chega a vez de falar de Nino Rota, simplesmente ele compôs a trilha do “melhor filme que já fizeram”:

O Poderoso Chefão:




Sim meus amigos, a épica e inesquecível trilha do filme mais mafioso de todos os tempos foi composta por Rota à pedido do próprio Francis Ford Coppola (Diretor e Roteirista) que sempre foi muito fã do trabalho do maestro. Além de filmes falados Rota escreveu várias trilhas de cinema mudo como o filme I vitelloni, que foi su primeiro trabalho no cinema. O cinema mudo dependia absurdamente de sua trilha, então o trabalho magnífico de Rota rendeu para ele vários outros convites, inclusive o de Coppola. Confira a sua primeira obra para o cinema:




E por aqui se encerra a parte 2 da nossa trilogia. E eu posso garantir que deixei o melhor para o final, então até semana que vem!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário