quarta-feira, 16 de julho de 2014

Entrevista exclusiva com Godasadog.


Olá, meus queridos leitores.
Tudo bem com vocês?

Estou muito feliz hoje, porque música me faz feliz. Confesso que fico muito feliz e honrada por ter novamente a presença da banda Godasadog. Sou apaixonada pelo som deles.Vamos parar com esse BLÁ,BLÁ,BLÁ e ler a entrevista exclusiva com o Duo. 


Maah Music:  Godasadog aqui no Maah Music. Antes de formarem o duo, vocês já trabalhavam com música? Qual a diferença desse projeto em relação aos outros trabalhos?
Victor Meira: Eu já tocava na minha banda de rock, a Bratislava. A pegada é diferente, acho que o som da Bratislava é mais cheio, menos minimalista. Acho que o Godasadog tem uma proposta timbrística bastante inovadora e, em geral, diretrizes muito diferentes das da Bratislava.
Matschulat: Eu estudei engenharia de som e produção de áudio. Hoje trabalho como produtor e como engenheiro de mixagem e de masterização. Já estive envolvido com projetos de diversos gêneros antes do Godasadog, mas a diferença gritante entre o Godasadog e qualquer outra coisa que eu fiz é o processo de criação e a relação de trabalho que tenho com o Victor.

Maah Music: Hoje em dia é muito difícil encontrar esse formato de duo. Por que a escolha? Qual a principal influência?
Victor Meira: Acho que a coisa encaixou como uma luva. Eu e o Matschulat temos habilidades complementares, então o processo flui muito bem. Desde a concepção das canções até a produção final, não passa pela mão de ninguém a não ser a nossa. Essa auto-suficiência sustenta o formato de duo.

Maah Music: Em março de 2013 vocês lançaram o EP “Casulo”. Em setembro lançaram o álbum “Hoje”, e em 2014 lançaram outro álbum, “Agora Re-Imaginada”. Qual a diferença desse último álbum em relação aos outros? 
Victor Meira: O primeiro lançamento, "Casulo EP", tinha apenas 2 faixas, mas foi importante por ter sido um marco, um jeito de falar "estamos aqui, a gente existe". Isso deu confiança e espaço pra que trabalhássemos de forma mais metódica no nosso primeiro álbum, "Hoje". O lançamento desse ano, "Agora Re-Imaginada" é uma espécie de continuação do álbum "Hoje". Pegamos uma música lá de dentro e exploramos ela de várias formas. Foi um experimento de expansão. 
Matschulat: Parte da filosofia do álbum também é providenciar a oportunidade para a criação e a expansão de idéias, tanto dos artistas convidados quanto do público.

Maah Music: O novo álbum foi uma releitura da canção “Agora”, presente no álbum “Hoje”. Por que a escolha de fazer uma releitura? O que irá chamar mais atenção nesse novo álbum?
Victor Meira: O que colocamos em evidência foi a questão de como uma mesma composição pode ser formatada ou re-imaginada de diversas maneiras. Por isso convidamos produtores e músicos com características muito distintas pra participar desse trabalho.
Matschulat: Eu espero que as pessoas realmente escutem o álbum. Ele é um bom exemplo de artistas bem conceituados que atuam na área da música eletrônica internacional. Para mim, pessoalmente, a abordagem da releitura foi uma grande oportunidade de tentar quebrar o tabu do "o que é música eletrônica". Muita gente no Brasil ainda acha que música eletrônica é "putz putz" de balada e nada mais. Acho que é um passo muito importante, para a cultura nacional, poder expandir as ideias junto com a expansão da tecnologia, e para isso o primeiro passo é quebrar esse pré-conceito de relacionar o gênero eletrônico com balada.

Maah Music: Uma pergunta curiosa. Algumas pessoas para as quais eu mostrei o som de vocês disseram que as letras e composições parecem ser poemas em forma de canções. Vocês acham isso? O que vocês querem passar para o público que escuta o trabalho de vocês?
Victor Meira: De fato, isso é uma característica do que eu escrevo. As letras saem mesmo com uma cara de poesia. Antes de me aventurar na música eu já escrevia, frequentava saraus aqui em São Paulo, devorava obsessivamente tanto a literatura clássica quanto os autores vivos, de hoje. Participei de concursos literários e publiquei poemas em revistas e coleções do gênero (Não Funciona, PeriGO, Poesia Maloqueirista, Enxada). 
Matschulat: Eu só dou pitaco!

Maah Music: Curiosidade de fã. Por que o nome Godasadog?
Victor Meira: "Godasadog" é um palíndromo. É uma palavra que quando se lê ao contrário, se lê a mesma coisa. Se você separar as sílabas, vira uma frase: "god as a dog", que significa "deus como um cão" ou "deus no papel de um cão". É uma brincadeira de idéias. Sabe quando você olha fundo no olhos de um cachorro de rua, e tem a impressão de que ali tem mais sabedoria do que você esperava? É algo por aí. Dentro daquilo que você menos espera reside um deus.
Matschulat: Um deus que caga na rua.

Maah Music: Quem faz as composições?  No que se inspira? Já fez alguma música para alguém especial? Qual é essa canção?
Victor Meira: A gente compõe tudo junto. Mesmo quando um dos dois já vem com uma ideia mais formatada, a gente sempre abre para o outro opinar e mexer, então tudo sai com a cara dessa mistura mesmo, minha e do Matschulat. Se já fiz uma música pra alguém especial? Já sim. A canção "Xodó" (que está no álbum "Hoje") eu escrevi para a minha namorada, a Livia.
Matschulat: Para mim, a inspiração começa de diversas maneiras... na escolha do instrumento, ou até mesmo num nome provisório que damos à música antes de começar a composição em si, depende de como começamos. Depois do primeiro passo, um mapa das possibilidades começa a se desenvolver na minha imaginação e a gente inicia uma grande investigação. Esta investigação, em si, é inspiração, e vai indo! 

Maah Music: O que esse trabalho significa pra você? Qual a importância da música na sua vida?
Victor Meira: Você se refere ao Godasadog? Pra mim é uma plataforma de experimento, um jeito diferente e muito contemporâneo de se fazer música. É um projeto muito livre, muito ilimitado. Sinto que ainda estamos começando a desenvolver uma linguagem própria, estamos no começo de uma escalada. Quanto à importância da música na minha vida, acho que posso dizer que é o meu formato predileto de expressão. Acho que é a forma de arte que eu mais consumo e pela qual eu tenho mais carinho e obsessão. Por isso gosto de me dedicar a ela.
Matschulat: A importância da música na minha vida... Acho que ainda estou descobrindo.

Maah Music: Apresentei a música de vocês para alguns conhecidos e amigos, e todos gostaram muito. Como é a relação do duo com os fãs? Vocês acham que todo artista para ter uma boa carreira precisa de ajuda do público?
Victor Meira: A música do Godasadog é um pouco exigente. É pra quem gosta de apreciar música, de ouvir com carinho. Então, inevitavelmente, a relação com quem aprecia o nosso som é muito bonita, muito intensa. Recebo mensagens longas de pessoas do país inteiro, que escrevem com carinho contando de experiências ou lembranças que as canções do Godasadog despertaram neles em algum momento da vida. É muito motivador, cria-se um diálogo muito precioso nessa troca. 
Matschulat: Extremamente precioso. E tentamos cultivar sempre esses diálogos, constantemente.

Maah Music: Vocês acham que as influências musicais influenciam na hora da composição das canções?
Victor Meira: Com certeza, mas de forma muito intuitiva, muito livre. Tanto eu quanto o Matschulat somos pesquisadores assíduos de música, fazemos pequenas descobertas diariamente (às vezes, graaandes descobertas, hahaha). E tudo o que é ingerido acaba se transformando nesse nosso excremento criativo, hahaha. 
Matschulat: Com certeza. Para mim quando criamos é um processo extremamente recompensador. Compomos e em paralelo estamos alimentando os nossos valores estéticos-musicais. É uma feijoada.

Maah Music: Como você vê o cenário musical de São Paulo? Você acha que existe oportunidade para todos os gêneros musicais?
Victor Meira: Não sei se pra TODOS os gêneros. Acho que existe mais espaço pra uns do que pra outros, acho que isso é meio óbvio. Mas acho que nenhum artista sério resolve, do nada, mudar de estilo só por que tal gênero tem mais espaço. O artista é uma soma de gostos pessoais, experiências prévias e o ambiente no qual ele tá inserido. Daí surgem as ambições dele, e ele vai perseguir elas. Acho que é mais ou menos assim que funciona. 
Matschulat: Acredito que se tivéssemos uma quantidade apropriada de incentivo cultural do governo, SIM, existiria oportunidade. Mas não é o caso.

Maah Music: Somos curiosos e queremos saber. Quais as próximas novidades do duo?  
Victor Meira: Estamos compondo! :)
Matschulat: Exatamente!

Maah Music: Antes de ir embora, diz: qual recado vocês deixam para os fãs e leitores do Maah Music?
Victor Meira: Estamos muito felizes e gratos pela audiência de vocês. Continuem seguindo a gente, compartilhando, mostrando as músicas do Godasadog pros amigos. Em breve a gente tá com material novo na praça! 
Matschulat:  :)

Vamos animar esse post com música?  Dá o Play moçada! 


Gostaram? O que vocês acharam da entrevista ? Deixem seus comentários!


Adorei, como tinha tido no inicio do post. Sou fã da banda e fico muito honrada pela presença de vocês aqui no blog. Muito obrigada Victor Meira e Matschulat.

Acompanhe o trabalho deles e  fiquem por dentro de todas as novidades, acessem:



Moçada, Maah Music fica por aqui, e amanhã tem mais novidades pra vocês!

Beijo,
@maahmusic

Nenhum comentário:

Postar um comentário