sexta-feira, 9 de maio de 2014

Da raiva, nasce uma lenda!

Olá pessoal, eu aqui novamente. Dessa vez venho escrever sobre um das maiores lendas da música, daquelas que dividem um estilo por antes e depois dela. Vim falar do Slim Shady: EMINEM!!!



No começo do movimento.

O rap surgiu em comunidades pobres de Nova Iorque e os músicos o usaram como arma de protesto e começaram a cantar sobre a vida que eles levavam e contra o governo corrupto ou a polícia que abusava do poder e contra o grande preconceito que os negros sofriam. Nessa época surgiram vários nomes icônicos do rap como 2Pac, The Notorious B.I.G., entre outros. Nessa época surgiu o “Gangsta rap”, quando o rap se misturou com gangues e com a violência do lugar. Nesse turbilhão de coisas acontecendo um rapper, compositor e produtor se destacou: o Dr. Dre, sim, aquele dos fones beats horrorosamente caros. Dr. Dre descobriu e lançou vários nomes de sucesso até hoje como Snoop Dog, Ice Cube e 50 Cent. O que todos esses nomes tem em comum é o fenótipo de rapper: negros, altos, bombados (menos o Snoop Dog que é filé de borboleta) e com cara de mau (de novo menos o Snoop Dog que tem cara de que fumou maconha...95% do tempo). Fato é que todos eles parecem que nasceram para esse estilo mais agressivo de música que fala sobre carros, mulheres, dinheiro, etc. Mas, de novo, um cara se sobressaiu disso tudo, sendo totalmente o contrário: branco, estatura mediana e um voz extremamente poderosa e cheia de raiva.


 Começo Arrasador

E essa mistura explosiva rapidamente deu resultado e seus três primeiros álbuns ganham o Grammy de melhor álbum de rap. Os três primeiros trabalhos, os três primeiros sucessos e os primeiros da história a ganhar, consecutivamente, o prêmio de melhor do estilo. Além de ser fisicamente diferente do “normal” para o estilo, o Eminem tinha e tem uma outra forma de fazer rap. Suas músicas tinham uma pegada extremamente mais agressiva, ele atacava sem dó assuntos polêmicos como indústria da música em si. Em diversas letras ele critica a MTV (que era a referência musical da época) e as premiações de música. Sempre falou abertamente sobre isso sem se importar com possíveis retaliações em cima de seu trabalho. Apesar de também ter uma origem simples, morando em um bairro violento ele não cantou sobre problemas sociais, ele cantou sobre ele mesmo. E o que torna o Eminem tão especial é que você não precisa ir em nenhum artigo mal escrito, ou mal traduzido do wikipedia para conhecer a sua história de vida, você precisa somente escutar suas músicas. Problemas familiares, amigos mortos e até enfrentando preconceito no próprio meio musical são alguns dos assuntos que ele sempre tocou em suas músicas. Isso quando você fala em Eminem ou até mesmo em Marshall Mathers, seu nome verdadeiro, mas quando falamos em Slim Shady o assunto muda um pouco.

O lado Sádico!


Lembra quando eu falei das críticas à indústria musical? Pois é, com seu álter ego Slim Shady foi pra cima de tudo e de todos, inclusive dos fãs. Citou abertamente problemas com pais conservadores, premiações para músicos baseados em aparências e não em competências musicais, contra a imprensa sensacionalista, e tudo isso graças a uma manobra muito interessante. Esse personagem que ele criou permitiu que ele falasse tudo o que quisesse sem restrições e sem interferir no seu estilo próprio. Então entre o boca suja Slim Shady e o poeta Eminem temos uma carreira de grandes sucessos e letras de tirar o fôlego.

Musicalmente Diferente!


Outra característica importante do trabalho do Eminem é que sus músicas são bem mais complexas. O rap tem por característica ter um batida mais simples e contínua, Eminem, junto com Dr. Dre deram um jeito nisso, com isso a melodia de suas músicas ficaram bem mais trabalhadas e casaram perfeitamente com as letras impactantes e profundas. Eminem fez diversas parcerias musicais com grandes cantores como Adam Levine, 50 Cent e sua grande amiga Rihana, que já gravou duas excelentes músicas com o rapper: Love the way you lie e The Monster! O CD mais recente o The Marshal Mathers LP II de 2013 traz, mais uma vez, diversas parcerias como já citada Rihana além de Skylar Grey, Sia, Liz Rodrigues, entre outros. É um grande álbum e eu recomendo para todos que são amantes de música ou poesia. Pra encerrar o post quero dizer que todos devem conhecer o trabalho dessa lenda viva da música, cujo a carreira teve altos e baixos mas sem nunca deixar de manter as principais características e sempre prezar por um qualidade ímpar em suas composições. 


Um comentário: