terça-feira, 3 de julho de 2012

Rock Nacional VS Rock Internacional

E aí pessoal, tudo bem?

Desde quando recebi a "fácil" missão de falar sobre o ROCK neste blog, logo pensei em falar sobre isso, um assunto meio indigesto na sociedade roqueira: A guerra fria das preferências entre o rock brazuca e gringo. 
   
Pois bem, vamos falar sobre isso PACIFICAMENTE, ok? É um assunto que volta e meia causa polêmica na TV, nas redes sociais ou até mesmo em festivais (Lembra do caso do Ultraje a Rigor com Peter Gabriel no SWU 2011?).
   
Pra mim, tudo isso é em vão, isso mesmo, em vão! Sempre presenciei esses tipos de discussões, e quem se dizia ultra-fã de rock brazuca, um dia na vida já ouviu Sweet Child o' mine do Guns n' Roses. E quem se diz apaixonado por bandas estrangeiras, um dia na vida já sentiu falta dos Mamonas Assassinas. Não deveria haver brigas sobre esse contexto, afinal, esse gênero musical é amplo demais pra se prender num país só. Não tem como, particularmente, ir pra um evento de roqueiros e não ter Metallica na trilha sonora, e também não há como resistir a pedir pro artista do barzinho o famoso: "toca Raúl?" Então, o problema pra esta desavença é ele, como quase sempre, o Respeito.
Pra quem não se lembra do que aconteceu no SWU 2011 entre Ultraje VS Peter Gabriel, aqui um vídeo: 

   
Mas nem tudo é desespero, ou deselegante, como diria a Sandra Annenberg, há exemplos de mesclagem entre Gringo e Brazuca cujo resultado foi músicas que marcaram época, projetos que ficaram demais! O primeiro deles: Marcelo D2 & Will i Am (Black Eyed Peas), que em 2004 fizeram a música 'C.B Sangue Bom' e encantou geral o público do "Hip-Rock" com uma levada muito boa e uma das melhores fuzões que já ouvi; recentemente Emicida & M1 (Dead Prez) lançaram a música "Trouble" com uma letra completamente oriunda das favelas, e favelas de diferentes países. Ainda com Emicida, seu último disco "Doozicabraba e a revolução silenciosa" foi produzido por K-Salaam e Beatnick, dois produtores de música norte-americanos.
 
Pelo jeito quem tem mais afinidade com a gringa é o rap, né? Calma aí, tem mais... Há pouquíssimo tempo atrás, o NxZero lançou um disco com mais de 10 participações especiais lá da gringa em "Projeto Paralelo", entre eles P.MC, Eric Silver, Divinity Roxx, Ya Boy, Yo Yo, Freddie Gibbs, Aggro Santos, Smoke, Strong Arm Steady, One Nation e por aí vai...
 foto tirada pelo Fotografo @Luringa
 E a última coisa sobre qual gostaria de dizer é sobre as "vaias". Sim, elas me incomodam muito, principalmente em festivais que misturam bandas nacionais e internacionais. Quase sempre ocorrem vaias as bandas brasileiras, e isso me infesta de desgosto. Bandas com uma sonoridade um tanto mais leve quase sempre recebem injustamente vaias do público, já presenciei o Jota Quest, Fresno, NxZero, Hateen entre outros receberem esse tipo de maldade do público, o mesmo que é alvo das bandas quando escrevem músicas na intenção de satisfazê-los. Mas o caso que me deixou mais intrigado foi com o Gloria, em setembro de 2011, no Rock in Rio. Era/foi o show da vida daqueles caras! Eles ensaiaram com todo o empenho possível, quem acompanhou eles no twitter meses antes do show sabe... E na hora do show? Público vaia a banda! Porém, foi só a banda tocar cover's de Pantera, que a platéia agitou. E é isso que tem que ser feito em show de rock, cantar junto com a banda, agitar! Se não gostar do que ela está fazendo, ficar de boa e RESPEITAR. Curiosidade: Depois eles postaram fotos juntos com alguns membros do Slipknot, ficaram demais, e assim calaram algumas bocas dizendo que não há "amizade" entre bandas daqui e de lá. Valeu?
Abraço a todos. 
Vinícius Franco, twitter: @ConceitoRock

4 comentários:

  1. Eu não sou propriamente super fã de rock, mas concordo que todas as bandas têm o seu espaço e não há necessidade de serem vaiadas num festival só porque há pessoas que preferem ver outras bandas. Quando vamos a um festival já sabemos quais as bandas que lá vão estar, temos de estar preparados para ouvir todas (ou se não queremos ouvir, simplesmente abandonamos o concerto e vamos fazer outras coisas no recinto). Eu estive no RIR em 2011 e detestei ver o público completamente apático a ouvir Snow Patrol.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada!
    Espero receber a tua visita mais vezes :D

    beijinho
    Adriana S'

    ResponderExcluir
  3. Gente que absurdo as pessoas vaiarem... eu fico imaginando o artista como se sente... Se não curte a banda ou o estilo do som é só ficar na sua e aprender a respeitar ou outros pq tem quem gosta né!
    Adorei o texto!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto. Rock não é meu estilo preferido musical, mas eu respeito muito quem curte :)

    Beijos
    www.deliriosdegarota.com

    ResponderExcluir